Comprando uma casa (parte 2)

Mortgage

Pesquise, pesquise, pesquise. Va ao financial advisor de alguns bancos e conte seus planos. De posse dos seus detalhes (basicamente renda, dividas e quanto pretende dar de entrada) ele tera uma ideia de quanto o banco lhe emprestara. Se ele achar que esta tudo parecendo ok e voce gostar dos numeros ofertados e quiser ir frente, so entao ele fara a consulta de credito. Todo mundo sabe que cada vez que se consulta o credito (seja por qual motive for) se perde uns pontinhos. Seu credito estando ok pronto, em 48 horas voce tera seu pre-approval nas maos.

Eu indico falar com mortgage brokers. Eles trabalham com todos os bancos e podem ganhar bastante tempo para voce vendo qual a melhor taxa de juros e condicoes. Um ressalva apenas. Claro, como em qualquer campo, cuidado para nao pegar um mortgage broker sacana. Ja fiz varios mortgages aqui para clientes que pagaram taxa de $2,000 (commitment fee) so para conseguir o mortgage. Geralmente sao clientes que nao conseguem financiamento (por credito ruim, dividas, etc oferecendo risco maior aos bancos) com os bancos maiores e recorrem aos bancos menores, que emprestam o dinheiro, mas como o risco é maior ja vi juros de 12%. Sem falar na papelada, tem uns bancos aqui que brinco que so nao pedem exame de sangue e fezes para os clientes, para bancos menores é um calhamaco de documentos para assinar e duas identidades no minimo, isso depois de estar tudo fechado ja, estou falando no escritorio do advogado. Mas outras vezes, por uma comissao maior, mesmo o cidadao tendo condicoes de pegar um mortgage melhor num banco decente, eles empurram outros financiamentos com taxas de juros menores (ou nao) mas com taxas e adicionais que na verdade podem ate encarecer mais.

TD, Scotia, BMO, RBC e CIBC sao chamados os “Big five”, voce estara bem com qualquer um deles.

Um erro comum que vejo é se limitar ao banco onde voce é correntista. Brasileiros tem a tendencia entao de ir no HSBC, que em se tratando de mortgage nunca vai ser a melhor opcao. Eu mesmo sou correntista do TD e fiz meu mortgage com o Scotia, onde agora tambem sou correntista.

Segundo passo: corretor

Agora que voce tem seu pre-approval, voce precisa de um corretor para ajudar na procura da casa. O melhor de tudo é que é totalmente free! Quem compra a casa nao paga nada, a comissao do corrector é por conta do vendedor. Em posse dos seus criterios – qual o tipo de casa, quantos banheiros, preferencia por bairros, etc – o corretor pega voce em casa e leva para visitar as casas previamente escolhidas por voce. O corretor tem acesso a bem mais informacoes do que esta disponivel no website, quando ele loga no sistema, ele pode dizer quanto tempo a casa esta no mercado, se ja houve uma reducao no preco e quanto, etc. Entao essas informacoes ajudam muito na hora da negociacao.

Em Ottawa (nao atua em Gatineau) eu indico o Alfredo Patricio, honesto e competente, sabe o que esta fazendo. Foi nosso agente na compra da casa.

Em Toronto e GTA tem a Rosa da Silva.

Oferta

Depois de ver as casas disponiveis no mercado, restam duas opcoes. Escolher uma para dar uma oferta ou se voce nao sentiu nenhuma delas como sua futura casa em potencial so lhe resta mudar os criterios ou entao aguardar outras casas entrarem no mercado. No nosso caso so olhando pela internet conseguimos reduzir a lista para 15 casas, mais ou menos na proporcao de 5 casas em cada bairro que tinhamos escolhido, depois de olhar tudo ficamos na duvida entre duas (eu pendendo mais pra uma e Claudia pendendo mais para outra) e tivemos que sentar pra decidir em qual dariamos a oferta. Decisao feita, comeca a parte mais estressante do processo e onde voce tem que ser o mais racional possivel. Voce acerta com o corretor de quanto sera a oferta, nunca se oferece o preco pedido e demais condicoes, se e quais appliances (fogao, geladeira, etc) estarao incluidos entre outras coisas. Geralmente vem depois uma contra-oferta e essa “danca” pode continuar por algum tempo. No nosso caso no final conseguimos uma reducao de $4000 no preco e ficar com todos os appliances que nao estavam incluidos inicialmente(fogao, geladeira, lava loucas, maquina de lavar e secar). Hoje olhando para tras acho que deveria ter negociado mais duro, da proxima vez vou ser tentar ser mais racional.

Aqui tenho que abrir um parenteses, isso ocorre em mercados “normais”. Nos mercados “distorcidos” como Toronto ou Vancouver a realidade é outra. A especulacao imobiliaria é enorme e o comprador praticamente tem que implorar para comprar um imovel, acontecendo o absurdo de voce ter que oferecer full price ou mesmo oferecer mais do que esta sendo pedido para conseguir bater outras propostas.

Open Houses

Ficar procurando por open-houses nao é produtivo. Claro, se voce cruzar por uma numa regiao que voce quer nao custa anda entrar, mas seu tempo rendera muito mais se deixar pra olhar casa no MLS e ir ver so o que realmente interessa. Open houses eram mais bem populares ate o advento da internet, atualmente ficou obsoleto.

Mudancas

Atualmente o governo planeja mudancas em virtude do momento em que a economia passa (e ainda tem quem diga que nao estamos em crise). Ao que parece vao diminuir o tempo maximo de amortizacao que atualmente é de 30 anos para 25 anos, sendo que em 2011 ja diminuiram de 35 para 30 anos. Isso na pratica significa mais ou menos uma diferenca de $300 dolares mensais a mais num mortgage de $350 mil dolares. Mas vendo pelo lado bom, depois das mudancas quem ainda tiver condicoes de comprar uma casa encontrara um mercado desacelarado e com precos mais atrativos para compradores.

 

A parte 3 concluindo o assunto, em breve.

Advertisements

Comprando uma casa (parte 1)

Como alguns sabem, trabalho na area legal de Imoveis. O escritorio onde trabalho é especializado em Direito de Familia, Corporate e Real Estate, sendo que sou o Legal Assistant para a area de Real Estate.

Acho que nem precisava mencionar isso, é altamente aconselhavel comprar sua casa propria assim que possivel. Com as baixas taxas de juros aqui, seu mortgage vai sair quase o preco do aluguel. Voce vai estar morando em algo seu e o dinheiro que voce esta pagando ainda esta voltando aos pouquinhos pro seu bolso. Nao consigo imaginar um motivo para nao comprar uma casa, partindo do principio claro que voce tem como comprar uma. Se alguem souber de um motivo é so dizer.

Pesquisas

Antes mesmo de ter emprego ja olhava na internet pra ir sondando o terreno. Mas isso nao funciona para todo mundo, para algumas pessoas quando sugiro isso ja vi gente falando coisas como “ah, mas nao quero olhar agora pra nao ficar sonhando e ficar ansioso, etc”. Se voce conseguir trabalhar essa ansiedade vai lhe poupar muito tempo, mas o maior beneficio sera ter os pes no chao. Conhecer o mercado ajuda nas expectativas e nao correr o risco de depois voce descobrir que uma casa do jeito que voce quer ou no bairro que voce prefere nao estara ao alcance. Nas minhas buscas me poupou bastante tempo delimitando 3 bairros (Barhaven, Kanata e Orleans) onde seriam possivel comprar um casa detached dentro das nossas possibildiades financeiras. Uma das condicoes que tinhamos era que a casa fosse single home e nao townhouse ou nem mesmo semi-detached. Fora desses bairros ou seria muito caro ou muito longe ou a casa seria muito velha/chinfrim.

Onde pesquisar

No Canada, como acontece nos Estados Unidos, toda casa que tem um corretor envolvido obrigatoriamente tem que esta listada numa lista unica chamada MLS. De forma que uns 95% de todas casas a venda voce vai encontrar em um so lugar, aqui.

Os outros 5% sao as pessoas que decidem nao usar um corretor na venda da casa, obviamente para nao pagar entre 4 e 5% de comissao. Essas pessoas usam listas menores como Grape Vine meia duzia de outras listas menores ou ate mesmo Kijiji.

Se voce é marinheiro de primeira viagem aconselho fazer tudo com corretor, alem de nao pagar nada e da praticidade, tem uma seria de detalhezinhos que voce nao fara a menor ideia. Ou seja, para nao usar corretor, seja para compra ou venda, voce tem que ser um “advanced user”.

Tempo Minimo

Ao contrario do que a maioria das pessoas pensam, nao existe um tempo minimo para comprar um imovel se voce tem o suficiente para dar 20% de entrada e um emprego ou fonte de renda. Com esse valor voce nao precisa passer pelo approval da (CHMC) Canada Housing and Mortgage Corporation. Se voce nao tem os 20 % de entrada, o pagamento de seguro (pago ao banco pro caso de voce nao conseguir pagar) é obrigatorio.

Entrada

Atualmente a maioria dos bancos pedem um pagamento minimo de 5% do valor do imovel. Mas muita gente nao sabe que alguns bancos financiam uma casa com zero % de entrada (nao que voce nao gastara um tostao, voce ainda tem os gastos legais, imposto de transmissao de bem imovel, etc). Existem bancos que estao tentando mais agressivamente ganhar Mercado e fazem mortgage normal para os 95% do valor do imovel e fazem um Segundo financiamento do que voce deveria dar de entrada. Para isso vao querer ver um bom historico de credito e renda suficiente aos olhos deles.

Renda

Alguem desinformado ira dizer que é preciso no minimo 1 ano de historico de emprego para os bancos considerarem sua renda. Porem existe um excecao para nos, newcomers. No nosso caso esse requerimento cai para 3 meses. E 3 meses do dia que voce toma posse da casa efetivamente. Nos fechamos o negocio e assinamos o contrato de compra e venda quando estava no trabalho ha somente dois meses, sendo que o dia de compra da casa e que tomamos posse foi exatamente quando completei 3 meses de trabalho, nem um dia a mais nem a menos. Claro, precisa ser um pouco doido como eu, de comprar uma casa ainda no tempo probatorio do emprego, mas que é possivel é.

Primeiro passo

Saber quanto voce vai poder gastar. Conseguir um pre-approval no banco e bastante aconselhavel antes de comecar a ver casas, assim voce sabera qual o seu teto no preco. Nao adianta nada ficar olhando casas e escolher uma para depois descobrir que o banco emprestara menos do que voce imagina e/ou precisaria. Geralmente os corretores so irao aceitar comecar a busca de casas depois que voce ja tiver pre-aprovado e sera provavelmente a primeira pergunta.

Stay tuned. Parte dois vindo daqui pro final da semana…

Ferias duplas no Brasil

Lembro que quando estávamos no processo de imigração ainda no Brasil, nos encontros que participávamos certo dia um dos colegas falou o seguinte: ” Depois que você imigrar, esteja preparado para voltar ao Brasil umas 7 vezes na sua vida. Sempre vão aparecer outras prioridades na sua vida, outras viagens, impedimentos… Então considerando que seus pais, ou família, vão visitar vocês mais ou menos o mesmo numero de vezes, depois que imigrar você só vai ver família no maximo 15 vezes durante sua vida.” Eu não sei quantas pessoas desistiram de imigrar depois dessa declaração, pelo menos dos mais próximos que tinha contato ninguém desistiu, mas na hora ele fez ate pessoas chorarem (serio)…hehehe

Vista do apartamento

Então, se isso for verdade, só tenho mais 4 idas ao Brasil de sobra, já que em dois anos e meio aqui já voltei 3 vezes.  Sim, o que ele falou tem um fundo de verdade, não é uma viagem curta ou barata para se fazer todo ano, mas não se pode generalizar. Depende de onde você mora no Canadá (quanto mais longe mais caro e complicado – ponto para Toronto aqui), situação financeira, ferias no trabalho e claro, da sua vontade.

Mas agora sobre minhas idas ao Brasil. A primeira foi programada, viajamos 14 de Dezembro para apresentar little Lucas para a família e amigos, só minha mãe e alguns tios já tinham vindo brevemente logo depois que ele nasceu. O plano era eu ficar ate 2 de janeiro e Claudia & Lucas ficarem ate fim de fevereiro aproveitando a licença maternidade dela. Depois que voltei ja estava perto de perder (o resto) minha sanidade, sabia que seria difícil passar 2 meses sozinho, mas não esperava que fosse tanto. O desespero foi tanto que estava disposto a voltar mesmo que fosse por um fim de semana para vê-los, mas falei com meu chefe para ver o que dava. Tive a cara de pau (segundo me disseram aqui no trabalho eu tive foi balls mesmo) de depois de 2 semanas da volta dos 20 dias no Brasil falar com meu chefe sobe a possibilidade de  dar um pulinho la novamente.  Falei a verdade, eu preciso voltar nem que seja por uma semana porque não estou aguentando a distancia. Ele claro não gostou da ideia e deu um pulo, mas de doido só tenho a cara e fiz uma proposta de trabalhar overtime para compensar. Na semana seguinte estava no avião da Air Canada novamente, dessa vez fazendo surpresa, avisei so pro sogro, que inventou uma desculpa esfarrapada pra ir no aeroporto levando Claudia e Lucas. A sogra foi levando Lucas para no susto não ter perigo da Claudia soltar o Lucas. Ao me ver a primeira pergunta foi se eu tinha perdido o emprego…hehehe

Batismo

Brasil é um ótimo lugar para se visitar. Sempre é bom ver parentes, amigos e só passear e comer comida boa.  Quando se sabe que esta la só de passagem, enfrentar a parte ruim fica bem mais fácil.

Lucas having fun!

A logística da coisa pode complicar um pouco ao passarmos ao posto de turistas. Onde ficar e como se locomover sao os maiores problemas. Ficar na casa de parentes e/ou amigos por muito tempo não rola. Mesmo na casa dos pais depois de adulto, principalmente se você é casado, pode ser complicado se por um periodo mais extenso. Tivemos sorte de conseguir um apartamento cedido por um parente para ficarmos o período inteiro da nossa estadia enquanto eu estava por la. Isso evita também ter que escolher uma casa especifica – geralmente os pais de um ou de outro –  e gerar ciúmes e conflito pela escolha. Outro problema é o carro. Pensei em alugar um carro mesmo o custo nao sendo barato, ter que ficar dependendo de carona, transporte publico ou taxi não tem condições. Por sorte minha mãe estava vendendo um carro e ficamos com ele ate ela coloca-lo no mercado. Outra complicação é gerenciar o tempo, muita coisa pra fazer, muita gente pra ver, tanta a correria na primeira ida que fiquei cansado das ferias e ainda não vi todo mundo que queria ver. Se não tivesse retornado para a semaninha extra teria falhado com alguns amigos…

Primeira vez na praia

Dessa vez chegou mesmo a bater a temida duvida: será que compensa morar longe da família, amigos e etc?

Felizmente (não pra quem fica) não deu nem tempo da duvida pairar muito tempo no ar. No dia seguinte da primeira ida e que cheguei sozinho, a greve da policia em Fortaleza estourou (já estavam em greve ha alguns dias) e vejo os relatos de amigos e parentes, alem da Claudia ligar temerosa. É como jogar um balde de água fria na cara e você acordar pensando: “ah, é por isso…”. O pior é ver o grau de tolerância criado por situações como essa por grande parte de quem mora no Brasil (não todo mundo, claro), achando tempestade em copo d’água o ocorrido. Minha sogra ficou irritada só porque a Claudia considerou antecipar a passagem para voltar mais cedo se a situação continuasse ou piorasse. Vi outras pessoas comentando que o pessoal tava pintando a situação pior que na verdade era, enquanto tive relatos de violência e terror de outros (visto com os olhos, não de ouvir falar). O fato é que morando no Brasil você tem que criar mesmo uma proteção, senão não se vive, negação é praticamente um mal necessário. Não posso deixar de contar um ótimo exemplo sobre isso ocorrido conosco. Estávamos numa mesa de um restaurante reencontrando alguns amigos da Claudia do tempo de faculdade, quando vem a pergunta básica “vocês gostam de morar no Canadá?”. A resposta positiva dificilmente vem isenta de comparações diversas com a realidade brasileira e quando estamos divagando sobre a violência uma mulher sentada na mesa ao lado com o filho de cerca de 8 anos não se conteve e se intrometeu na conversa exaltada dizendo “também não é assim, aqui não tem toda essa violência não, ta aqui meu filho bonzinho do meu lado, “. Eu que não iria perder meu tempo discutindo isso com quem nem conheço, eu poderia ter perguntando quantas pessoas morreram no fim de semana na cidade ( em media 20 e poucas pessoas) e dito que em Ottawa tivemos 11 homicídios em 2011! Mas eu não estava tentando convencer ninguém de nada, só estava respondendo a pergunta…

Mas voltando a questão da duvida, a maioria de nos chega no Canadá de saco cheio do Brasil, ainda mais depois de uma longa espera no processo. Eu mesmo quando voltei ao Brasil a primeira vez em 2009, que foi não por escolha, fui achando tudo ruim desde o voo da Air Canada em Toronto com a brasileirada. Mas depois de um tempo a poeira vai baixando e você vai percebendo melhor as implicações e desdobramentos de suas escolhas. Principalmente quando se tem um filho recém-nascido em solo estrangeiro.

Aqui aconselho quem não quer ouvir falar sobre o lado mau da imigração parar a leitura por aqui.

Esses dias um advogado que trabalha no mesmo prédio que eu que converso muito estava falando sobre isso. Ele mora no Canadá ha 30 anos, é muito bem sucedido, tem empresa de IT e advoga só por hobby. Ele estava refletindo e dizendo que se pudesse voltar no tempo, não teria saído do pais dele e aconselharia qualquer pessoa a fazer o mesmo. Claro, isso considerando que você não tem um forte motivo de sair de la. Cheguei a conclusão que quanto mais o tempo passa, mais você sente o peso das escolhas, ao contrario do que se pensa que com o tempo passa as coisas só melhoram.  Seus filhos crescendo sem parentes por perto, sem criar uma relação com eles tem um preço. Vê-los uma ou duas vezes ao ano (para quem tem esse privilegio) não é a mesma coisa.

Agora entendo quando vejo pessoas (e não são poucas) voltando depois de 5, 8 anos de Canadá para seus países. Agora entendo porque meus tios que moraram em Oxford por 5 anos e receberam ofertas (meu tio era PhD em física por Oxford) para ir para Alemanha, Itália, Japão, Austrália e mais meia dúzia de países resolveram voltar para o Brasil com os 3 filhos pequenos. Eu vejo isso com outros olhos hoje. De maneira que penso que estou privando Lucas de ter uma família completa e que dessa forma ele dificilmente vai ter o privilegio que eu tive do convívio com uma família grande. Isso sem falar dos nossos próprios pais, para quem ainda tem e gosta. O tempo vai passando e vamos percebendo que perdemos um tempo precioso e tempo não se obtém de volta. E ainda tem os amigos… Nem tudo é perfeito na vida, nossas escolhas sempre trazem vantagens e desvantagens com elas. Nos que escolhemos esse caminho de sair do pais de origem pagamos um preço que só damos conta com o passar do tempo.

Se eu penso em voltar pro Brasil? Estamos felizes aqui e não vejo isso acontecendo a médio prazo, mas nunca digo nunca.

Niagara Falls

Antes de concluir o post sobre nossa ida(s) ao Brasil vou falar rapidinho sobre nossa Pascoa em Niagara Falls. Nossa segunda vez por la, da primeira Lucas ainda estava com 7 meses na barriga da Claudia. Dessa vez nao deu pra entrar nos casinos, mas cansamos de olhar para as cataratas, afinal era essa a vista do nosso quarto:

Image

Image

A viagem de Ottawa fica um pouco cansativa, sao mais ou menos 6 horas de estrada. Mais ou menos porque paramos duas vezes, nao da pra explicar para um bebe de 8 meses para ter paciencia que estamos viajando. Entao paramos para o almoco na ida e na volta em Belleville e uma segunda vez pra abastecer e trocar fraldas. Niagara e pequena, acho que em 3 dias da para fazer/ver tudo que tem por la, mas vale a pena. Como e uma atracao turistica bem popular, quase chegando ao cliche, tambem pode ser uma cidade cara se voce nao sair da beaten path, principalmente no que se refere a restaurantes.

Alem dos casinos, Maid of the Mist e Table Rock, tem tambem muita coisa para fazer em Clifton Hill, dessa vez fomos apenas no Ripley’s Museum Believe It or Not (Acredite se Quiser) porque o Lucas tava doentinho. Nao fomos tambem em nenhuma das duas churrascarias rodizio brasileiras que tem por la. Uma delas era do outro lado da rua do nosso hotel, mas eu era o unico interessado. O preco eh na faixa de $40 por cabeca para o rodizio. Skylon Tower e bem menor mas tem uma vista mais bonita que a CN Tower, o almoco buffet por la e um excelente custo beneficio.

O parque Marineland e meio deprimente, achei os bichos mal cuidados. E enorme e caminhamos pra caramba. Fomos apenas da primeira vez e so recomendo se voce gostar muito de parques de diversao.

Nao paramos em nenhuma vinicula nem em Niagara on the Lake, o plano era passar na volta, mas a visita ficou para a proxima vez e comprar um Icewine direto da fonte.

Image