Almost there ou Interludio II

26 horas de isolamento, 8 horas de jejum total(inclusive agua), iodine 131, 8 litros de agua, muito dramin(intra-muscular e oral) e mais uma pa de comprimidos, limoes, balas azedas, junte tudo e misture bem. Aprecie com moderacao.

E la se foi a radio-iodoterapia. Mais um “chefao de fase” vencido, acho que agora falta pouco pra finalizar o jogo.

Advertisements

Olha a faca!

Pois eh, entrei na faca. A cirurgia foi terca-feira e agora estou esperando pela radio-iodoterapia pois o diagnostico de cancer foi confirmado. Enquanto isso repouso e dieta de iodo. Vou tentar aproveitar o tempo livre de recuperacao em casa para escrever alguns posts sobre o Canada, ja que nas ultimas semanas minha vida tava quase no ritmo de um trem desgovernado. E ja vou aproveitando para pedir desculpa se nao respondi o email ou mensagem de alguem, por favor eh so me lembrar novamente. Agora tambem vou ver se finalmente termino de assistir Prison Break, porque  nao estava conseguindo assistir mais nada.

E tao logo termine essa bendita iodoterapia estarei voando de volta ao Canada para dar continuidade a minha vida e a promessa a patroa de comecar nossa producao de herdeiros.

Interludio

Ainda no Brasil, fazendo checkups de rotina e para aproveitar o plano de saude antes de passar 3 meses
de carencia ate ser coberto pela sistema de saude da provincia de Ontario, descobri uma coisa que nao
era para estar la. O medico pediu uma biopsia e disse para nao se preocupar, afinal pelas
caracteristicas tinha 95% de chances de ser benigno. Fiz a biopsia poucos dias antes de embarcar e minha
mae ficou de pegar o resultado 10 dias depois. Nem lembrava mais do tal exame, afinal 95% de chance eh
muita coisa. Uma bela noite, ainda felizes pelas primeiras conquistas, recebi um telefonema da minha mae
dizendo que tinha recebido o resultado do exame e que eu precisava voltar ao Brasil o mais rapido
possivel: cai nos 5%.
Apesar de estar bem aquecido dentro de casa e ter feito um dia de outono bem agradavel na casa dos 16/17
graus, senti imediatamente um frio subindo pelos pes e tomando conta do corpo. Por essa eu nao esperava.
A primeira noite nao foi facil, nao somente pelo fato em si, mas por suas consequencias na nova vida
tambem. No dia seguinte minha mae conseguiu falar com o medico cirugiao que fara minha operacao e nos
tranquilizou, dizendo que nao havia tanta pressa e que eu poderia esperar ate uns 3 meses ainda com uma
boa margem de seguranca. Acontece que quanto mais demorar a ir, mais vai demorar para retomar a minha
vida aqui. Nao posso procurar trabalho sabendo que em no maximo 2 meses estaria partindo pro Brasil.
Perdi a oportunidade de comecar um programa bem concorrido de treinamento oferecido de graca para
imigrantes com background na area legal porque o programa comeca em novembro e vai ate fevereiro, na
entrevista de selecao contei sobre minha situacao e claro que fui preterido.
Enquanto vou ao Brasil a Claudia fica por aqui. Foi dificil convence-la, mas eh o mais racional a ser
feito. Do contrario, teriamos despesas em dobro, teriamos que passar tudo de novo mais 2x com a Mei e
toda a bagagem. Esta semana estamos alugando um ap e pretendo deixar tudo ajeitado para deixa-la
confortavel, dentro do possivel em vista das circustancias.
Mas estou encarando tudo como apenas um contra-tempo e uma segunda chance oferecida a mim, afinal se nao
tivesse feito esses exames meio que por acaso(o meu medico disse que ele proprio nem sabe porque pediu
os tais exames), a coisa seria bem mais feia no futuro. Assim que terminar minhas “ferias” estou de
volta pra lutar pelo meu lugar ao “sol”.
Ainda no Brasil, fazendo checkups de rotina e para aproveitar o plano de saude antes de passar 3 meses de carencia ate ser coberto pela sistema de saude da provincia de Ontario, descobri uma coisa que nao era para estar la. O medico pediu uma biopsia e disse para nao se preocupar, afinal pelas caracteristicas tinha 95% de chances de ser benigno. Fiz a biopsia poucos dias antes de embarcar e minha mae ficou de pegar o resultado 10 dias depois. Nem lembrava mais do tal exame, afinal 95% de chance eh muita coisa. Uma bela noite, ainda felizes pelas primeiras conquistas, recebi um telefonema da minha mae dizendo que tinha recebido o resultado do exame e que eu precisava voltar ao Brasil o mais rapido possivel: cai nos 5%.
Apesar de estar bem aquecido dentro de casa e ter feito um dia de outono bem agradavel na casa dos 16/17 graus, senti imediatamente um frio subindo pelos pes e tomando conta do corpo. Por essa eu nao esperava. A primeira noite nao foi facil, nao somente pelo fato em si, mas por suas consequencias na nova vida tambem. No dia seguinte minha mae conseguiu falar com o medico cirugiao que fara minha operacao e nos tranquilizou, dizendo que nao havia tanta pressa e que eu poderia esperar ate uns 3 meses ainda com uma boa margem de seguranca. Acontece que quanto mais demorar a ir, mais vai demorar para retomar a minha vida aqui. Nao posso procurar trabalho sabendo que em no maximo 2 meses estaria partindo pro Brasil.
Perdi a oportunidade de comecar um programa bem concorrido de treinamento oferecido de graca para imigrantes com background na area legal porque o programa comeca em novembro e vai ate fevereiro, na entrevista de selecao contei sobre minha situacao e claro que fui preterido.
Enquanto vou ao Brasil a Claudia fica por aqui. Foi dificil convence-la, mas eh o mais racional a ser feito. Do contrario, teriamos despesas em dobro, teriamos que passar tudo de novo mais 2x com a Mei e toda a bagagem. Esta semana estamos alugando um ap e pretendo deixar tudo ajeitado para deixa-la confortavel, dentro do possivel em vista das circustancias.
Mas estou encarando tudo como apenas um contra-tempo e uma segunda chance oferecida a mim, afinal se nao tivesse feito esses exames meio que por acaso(o meu medico disse que ele proprio nem sabe porque pediu os tais exames), a coisa seria bem mais feia no futuro. Assim que terminar minhas “ferias” estou de volta pra lutar pelo meu lugar ao “sol”.