Carteira de Motorista

E eis que quase um ano depois de chegado no Canada, agora estou devidamente documentado para dirigir.

Quando chegamos o DriveTest, orgao que regula os testes e emissao de habilitacao em Ontario, estava em greve. A tal greve so foi acabar dia 4 de janeiro, mais de 3 meses depois que chegamos, so que ai ja era inverno e como eu nao tinha pressa pra tirar habilitacao achei melhor ir atras disso depois do inverno. Primavera veio e como nao era prioridade fui deixando pra la ate que em agosto, mais de meio verao adentro, resolvi que tava passando da hora de ir atras.

Primeiro passo eh ir traducao da carteira de motorista em um consulado mais proximo de voce, no nosso caso de Ottawa, na Embaixada. Se nao tem nem um nem outro eu nao sei como faz, quando fazia parte de listas de discussao lembro de algumas pessoas que moram em cidades mais afastadas dizendo que o departamento de habilitacao nao tinha aceitado traducao “normal”. Sei que tem um consulado brasileiro intinerante que vai nas cidades de provincias mais distante por alguns dias, mas nao sei dos detalhes. O custo da traducao eh de $18.5 + custo da money order e aqui na Embaixada eles dao o prazo de 3 dias uteis. Esse documento so eh valido por 3 meses e no meu caso tive que tira-lo novamente.

Munido da traducao da carteira eh bom estudar a teoria por uns dias. Voce pode comprar o Driver’s Handbook na maioria das farmacias, supermercados e bancas de revista por volta de $18, mas se nao quiser gastar pode estudar online pelo Official Handbook web site tambem. Eu comprei o livro mas perdi antes de comecar a estudar, entao o jeito foi dar uma olhada online mesmo, eu so estudei uma manha e a tarde fui fazer a prova. O teste teorico nao precisa ser agendado, eh so chegar e fazer e custa $10 dolares por tentativa. Sao duas provas de 20 questoes cada, onde voce pode errar no maximo 4 em cada prova, sendo uma prova de legislacao e a outra de sinalizacao. Passando no exame teorico voce ja sai em posse da G1, a carteira de aprendiz que so da direito a dirigir na companhia de alguem que tenha um habilitacao “G full” por no minimo 4 anos e mais uma serie de restricoes. Ja eh uma boa deixar agendado o Road Test, atualmente esta levando em media 30 dias para conseguir data, ainda reflexo da greve do ano passado, mas se quiser agendar depois pode ser feito online tambem. Voce tem a opcao de fazer o teste de direcao para a categoria seguinte, a G2, ou para a “Full G”, chamada simplesmente de “G”. A G2 ainda tem alguma limitacoes que nao sei exatamente quais, mas o teste de direcao eh menos rigoroso.

Eu aconselho tomar pelo menos uma aula antes com um instrutor mesmo sendo experiente no Brasil porque alem de algumas regrinhas diferentes das nossas, no teste de direcao sao cobrados coisas que ninguem usa/obedece no dia a dia. Entao mesmo se voce tiver um amigo com 20 anos de direcao no Canada disposto a lhe dar umas aulas e ele nao souber as “manhas” voce tem grandes chances de se dar mal no teste. Todo mundo so fala dos blind spots, que tem que checar por cima do ombro e retrovisores de 2 em 2 segundos e tal, mas tinham algumas coisas que eu nao fazia ideia. Por exemplo, foi duro acostumar deixar uma distancia de um carro inteiro para o carro da frente ao parar no sinal vermelho, levei alguns puxoes de orelha ate aprender. E algumas pequenas coisas como dirigir com as duas maos na direcao. Mas segundo o instrutor que peguei, o mais importante, tirando os erros mais fatais e obvios como cruzar um sinal vermelho(ou quase), ultrapassar a velocidade permitida ou nao dar a vez para o pedestre, eh a entrada e saida da Highway. O instrutor do Luciano tambem falou o mesmo, ao entrar na Highway voce tem que estar na velocidade (permitida) dos demais, ou seja 100km/h ja, coisa que geralmente fazia ao contrario, vai se entrando com cuidado e acelerando aos poucos. Mas como disse, o certo eh entrar acelarado ja e com cuidado. Ao sair da Highway tambem eh importante nao desacelerar muito brusco, diminuir a velocidade mesmo so quando ja estiver bem encaminhado na exit. Dirigi por 2 anos nos USA e nunca fiz isso.

No final do teste, a instrutora virou de lado e disse “voce passou, mas voce eh um last minute breaker, por favor quando for dirigir nao espere tanto para frear”. Bem que percebi que ela estava meio tensa do meu lado…

Adendo: Vi em alguns blogs que tem pessoas, inclusive aqui em Ontario, que precisaram fazer traducao da carteira, nao sei se eh somente em Ottawa entao, na Embaixada emitem um documento que eh a traducao da carteira falando quantos anos de direcao no Brasil voce ja tem. Todo mundo que conheco fez desse mesmo jeito e ninguem teve problemas.

Outra coisa, fiz as provas no DriverTest da Canotek e nao esperei um minuto sequer.

Advertisements

Primeiros Passos – parte 2

Continuando a saga dos primeiros dias. Agora que voce ja tem o seu SIN card e esta equipado com computador e celular (e com sorte ate conta no banco voce ja abriu), os proximos passos sao os seguintes:

– Agendar um horário no YMCA  http://www.ymca.ca/ para conversar com um conselheiro. Baseado nas suas necessidades e habilidades eles vão te informar quais os programas do governo que são mais indicados pra voce. Eles te darão algumas opções e voce opta pelas que preferir. O YMCA sera apenas seu ponto de partida, ja que existem varias ONGs de apoio ao imigrante subsidiadas pelo governo e voce nao so pode como deve aproveitar as oportunidades de quantas voce achar necessario. Alguns servicos/programas/minicursos variam de ONG pra ONG.

Aproveite que já está no YMCA e agende seu teste de ingles/frances. Aqui em Ottawa o governo oferece cursos gratuitos de ingles OU frances. Veja bem, uma vez que voce opte por uma das linguas voce nao pode trocar e nao vai poder aproveitar as oportunidades de cursos especificos que surgirao na outra lingua (tipo ingles voltado para o ambiente de trabalho, por exemplo). Eu escolhi o frances, pois so tinha nocoes basicas e aqui em Ottawa eh importante dominar as duas linguas. Tenho estudado na La Cite Collegiale desde entao e nao tenho do que reclamar. O curso eh bem flexivel, sao varias opcoes de horario, eles dao todos os livros e materiais didaticos, de vez em quando tem aula de campo e ainda por cima se voce decidir estudar full time (pelo menos 3 horas todos os dias) voce tem direito a carteirinha de estudante e paga mais barato pra andar de onibus.

Ainda nesse topico eu queria falar de um programa subsidiado pelo governo chamado JobConnect ( http://www.jobconnectstlawrencecollege.ca ) do qual usufrui e recomendo. O conselheiro do JobConnect vai corrigir seu curriculo, te ajudar a procurar vagas e treinar a entrevista. Quando voce conseguir o emprego, o JobConnect paga ao seu empregador uma parte do seu salario (que nao sai do seu bolso, claro, quem paga eh o governo) durante o seu treinamento, para incentivar a empresa a escolher voce no processo seletivo. E pra completar o JobConnect ainda te da um cheque de ate cem dolares pra voce comprar roupas profissionais. Tudo de bom, ne?

– Proximo passo: visitar regiões para alugar apto/casa. Lembre-se que vários alugueis vencem dias 15 e 30 do mês, portando não são todos os lugares que te deixarão mudar fora destas datas específicas. Pergunte antes de fechar.
Para escolher onde morar, só andando mesmo. Minha experiencia é com apartamento apenas. Se voce achar algum que goste, pergunte na portaria ou rental office se tem unidades para alugar ou se voce pode dar uma olhada no mural de anuncios. Se voce quer andar de bike, gosta de caminhada e quer parque por perto: Montreal Rd, passando por Vanier. Ja se voce gosta de uma balada perto de casa: Rideau St., perto do Rideau Center e ByWard Market (o coracao turistico de Ottawa, cercado de pubs e bons restaurantes, alem da feirinha em si, com frutas, verduras, flores, barraquinhas de maple syrup, etc).

– E por ultimo (ufa!) aconselho a dar entrada pelo menos na carteira de motorista G1 http://www.mto.gov.on.ca/english/dandv/driver/.  A única vantagem de ter é que em vários estabelecimento eles pedem ID (e voce não vai ficar carregando seu passaporte ou PR Card para cima e para baixo). Lugares onde as vezes pedem ID: Correio, troca de produto em lojas, Biblioteca, banco, aluguel de apto, de carro, entre outros.

(Comentario do Carlos: Para tirar a G1 basta levar a traducao de sua carteira de motorista, feita na embaixada brasileira, a carteira original e fazer o teste teorico. No meu caso foi muito rapido, em menos de meia hora dei entrada na papelada, fiz a prova e ja estava com a carteira G1 provisoria. Com a G1 voce pode dirigir apenas acompanhado de outra pessoa que tenha a a full G, alem de outras restricoes como nao poder dirigir entre meia-noite e 5 da manha, nao dirigir em highway e limitar o numero de passageiros. Eh uma carteira de aprendiz mesmo.)


Acho que é isso. Seguindo esse pequeno manual de instrucoes de como se estabelecer em Ottawa não tem como errar e com certeza voces não terão muito stress pela frente. Agora eh arregacar as mangas e por maos a obra! Ah, e nao esqueca de nos dar um alo quando chegar por aqui. ;c)
Boa sorte a todos e abraços!

PS> Se eu tiver deixado alguma informacao relevante de fora ou voce quiser maiores detalhes sobre algum dos assuntos mencionados, a caixa de comentarios esta as ordens.

Capitulo 3: Chegada em Ottawa

Chegada em Ottawa
No aeroporto de Ottawa, o oposto de Toronto. Bem menor e tremendamente tranquilo. Poucas pessoas pegando bagangens na esteira, a grande maioria do aviao lotado que partiu de Toronto eram de executivos, advogados e outros profissionais portando somente bagagem de mao. Pegamos as bagagens e fui ao telefone publico avisar a dona do Homestay que estavamos chegando antes do previsto, haviamos avisado que chegariamos depois das 11hs e ainda eram 9h da manha. Ninguem atendeu e deixei recado na secretaria eletronica. Ainda meio atordoados ficamos sem saber o que fazer, decidi que a unica opcao era arriscar ir ao Homestay e ver se tinha alguem em casa. Pegamos um taxi e puxei conversa com o motorista que era do Iraque e bem simpatico, pedi para parar no caminho em algum lugar que vendesse artigos para animais. Depois de mais de um dia de viagem tinhamos que comprar o mais rapido possivel uma caixa de areia e comida para a Mei.
Chegando no Homestay esperamos um pouco pois o quarto ainda nao estava pronto. As forcas ja estavao no final, foram so o suficiente para subir as escadas da casa e levar as malas para o quarto de uma por uma, nao conseguia mais fazer duas por vez, uma em cada mao. Apesar do cansaco, depois de um banho quente e demorado, resolvemos ir dar uma volta na cidade e ver se ja davamos entrada no SIN Card. Perguntamos como faziamos para chegar em Downtown e a dona do Homestay mandou pegar o onibus 12 na Montreal Rd, ha 4 quarteiroes de onde estamos que desceriamos por la. O dia estava ensolarado e fazia em torno de 16 graus, o que nao eh frio, mas para quem chega do nordeste brasileiro eh uma diferenca de 14/15 graus. Descemos na ultima parada e fomos andando seguindo mais ou menos as instrucoes que nos foram dadas, consegui encontrar o City Hall sem precisar pedir a ajuda de ninguem, aproveitando aquele momento inicial que mescla o fascinio de estar num lugar completamente novo com a inseguranca de nao fazer a menor ideia de onde se esta. O SIN Card foi facil, ja o OHIP nao deu pra tirar no mesmo dia pois nao tinhamos todos os documentos exigidos ainda.
A essa altura estavamos famintos, pois a ultima refeicao (mais ou menos) de verdade tinha sido o cafe da manha no aviao as 5h da manha, sendo que no voo Toronto-Ottawa foi servido agua/suco e dois biscoitinhos de cranberry e ja eram por volta de 16h da tarde. Na caminhada de ida ao City Hall tinhamos “pre-escolhido” um local que tinhamos achado simpatico pra comer. A escolha se revelou acertadissima, comida boa e barata, estilo do subway mas sendo melhor(mais gostinho de home-made) e ainda aproveitei para matar a saudade de ginger ale, que particularmente acho melhor que guarana. Depois caminhamos por pelo menos mais uma hora por Downtown e fomos procurar a parada para voltar pra casa, ja que o trajeto de volta do onibus que pegamos passava por uma rua diferente da vinda. Chegamos no Homestay por volta de 19h da noite, ainda comecando a escurecer. No processo de procurar coisas nas malas e arrumar a bagunca um pouco fomos dormir por volta de 22:30h.
No aeroporto de Ottawa, o oposto de Toronto. Bem menor e tremendamente tranquilo. Poucas pessoas pegando bagagens na esteira, a grande maioria do aviao lotado que partiu de Toronto eram de executivos, advogados e outros profissionais portando somente bagagem de mao. Pegamos as bagagens e fui ao telefone publico avisar a dona do Homestay que estavamos chegando antes do previsto, haviamos avisado que chegariamos depois das 11hs e ainda eram 9h da manha. Ninguem atendeu e deixei recado na secretaria eletronica. Ainda meio atordoados ficamos sem saber o que fazer, decidi que a unica opcao era arriscar ir ao Homestay e ver se tinha alguem em casa. Pegamos um taxi e puxei conversa com o motorista que era do Iraque e bem simpatico, pedi para parar no caminho em algum lugar que vendesse artigos para animais. Depois de mais de um dia de viagem tinhamos que comprar o mais rapido possivel uma caixa de areia e comida para a Mei.
Chegando no Homestay esperamos um pouco pois o quarto ainda nao estava pronto. As forcas ja estavao no final, foram so o suficiente para subir as escadas da casa e levar as malas para o quarto de uma por uma, nao conseguia mais fazer duas por vez, uma em cada mao. Apesar do cansaco, depois de um banho quente e demorado, resolvemos ir dar uma volta na cidade e ver se ja davamos entrada no SIN Card. Perguntamos como faziamos para chegar em Downtown e a dona do Homestay mandou pegar o onibus 12 na Montreal Rd, ha 4 quarteiroes de onde estamos que desceriamos por la. O dia estava ensolarado e fazia em torno de 16 graus, o que nao eh frio, mas para quem chega do nordeste brasileiro eh uma diferenca de 14/15 graus. Descemos na ultima parada e fomos andando seguindo mais ou menos as instrucoes que nos foram dadas, consegui encontrar o City Hall sem precisar pedir a ajuda de ninguem, aproveitando aquele momento inicial que mescla o fascinio de estar num lugar completamente novo com a inseguranca de nao fazer a menor ideia de onde se esta. O SIN Card foi facil, ja o OHIP nao deu pra tirar no mesmo dia pois nao tinhamos todos os documentos exigidos ainda.
A essa altura estavamos famintos, pois a ultima refeicao (mais ou menos) de verdade tinha sido o cafe da manha no aviao as 5h da manha, sendo que no voo Toronto-Ottawa foi servido agua/suco e dois biscoitinhos de cranberry e ja eram por volta de 16h da tarde. Na caminhada de ida ao City Hall tinhamos “pre-escolhido” um local que tinhamos achado simpatico pra comer. A escolha se revelou acertadissima, comida boa e barata, estilo do subway mas sendo melhor(mais gostinho de home-made) e ainda aproveitei para matar a saudade de ginger ale, que particularmente acho melhor que guarana. Depois caminhamos por pelo menos mais uma hora por Downtown e fomos procurar a parada para voltar pra casa, ja que o trajeto de volta do onibus que pegamos passava por uma rua diferente da vinda. Chegamos no Homestay por volta de 19h da noite, ainda comecando a escurecer. No processo de procurar coisas nas malas e arrumar a bagunca um pouco fomos dormir por volta de 22:30h.