Cuba

Bom, ja foi ha dois meses atras, mas nao posso deixar de registrar nossa primeira experiencia em um dos habitos preferidos dos canadenses no inverno: viajar para o Caribe. So para ter uma ideia, cerca de 80% (mostragem nao cientifica, apenas baseado no barulho em resposta “quem eh do Canada”, no teatro) dos hospedes eram canadenses, os outros 20% europeus (vi russo, alemao, espanhol, portugues e italiano). Americanos nao existem la e esse eh um diferencial para Cuba em relacao aos outros paises do Caribe.  Se pensar que eh mais barato passar uma semana (ou mesmo mais tempo se quiser) em um resort com (quase) tudo pago do que so as passagens pro Brasil, fica muito dificil nao optar pelo Caribe. Esse ano como tinhamos pouco tempo e uma viagem rapida ao Brasil nao compensar, optamos por Cuba.

Drinks pra toda a familia

Drinks pra toda a familia

Escolhas

Canadenses lotam voos charter para ter um break do inverno, mesmo aqueles que amam o frio como eu, uma semaninha na praia cai muito bem. Os destinos mais visados – e mais em conta –  sao Republica Dominicana, Cuba e Mexico. Os pacotes sao geralmente de uma semana, existem pacotes de 3 dias, mas voce vai pagar praticamente o mesmo preco do pacote de uma semana. Existem pacotes de 10 dias tambem. Como era nossa primeira experiencia no Caribe (ja fui a Isla Margarita mas no esquema mochileiro ha quase 15 anos atras), nao tinhamos a menor ideia quanto a que destino escolher, ja que os precos sao bem proximos, com Cuba tendendo a ser um pouco mais barato. Depois de umas duas semanas de pesquisas nos sites de pacotes turisticos (tripcentral, flight centre & red tag) e lendo reviews no Trip Advisor, escolhemos Cayo Santa Maria, em Cuba. Nosso unicos criterios eram que o hotel tivesse um “baby club” onde pudessemos deixar o Lucas eventualmente e que o hotel fosse pelo menos bonzinho, ja que eh pra gastar, que seja bem gasto. Gostamos da ideia de Cayo Santa Maria ser uma ilha isolada de Cuba (a cidade mais perto fica ha uma hora de carro) ligada por 48 kms de ponte, ja que queriamos so ser “regular tourists”, nao estavamos muito afim de explorar desta vez. Queriamos so sombra, mar e agua fresca (leia-se drinks variados).

DSC_0093

Vida dura

O voo e a chegada

O voo foi direto Ottawa – Cuba. O aviao nao eh tao confortavel, mas pelo menos sao apenas 4 hs de voo. O clima a bordo ja eh de festa e demos sorte que boa parte do nosso voo levava convidados de uma festa de casamento e serviram ate champagne pro aviao inteiro. Como casamento formal eh um absurdo de dinheiro, muita gente aqui opta por pagar uma viagem dessas pros convidados e casar em grande estilo na praia. Descendo do aviao, enchemos o pulmao com aquele ar quente e umido tropical que tanto eh familiar a nos brasileiros, ainda mais acentuado pelo “cheiro de mato”. Depois de um “welcome to my country” na imigracao por volta de meia-noite, vamos pegar o onibus para o hotel e ainda tem ambulante vendendo agua e cerveja na porta do onibus, claro que nao da pra deixar passar o “una cerveza por favor”! O caminho ate o hotel eh permeado de nostalgia, por alguns momentos da ate pra pensar que estamos no interior do nordeste pelas cidadezinhas e vegetacao. Chegando para fazer o check-in, o hotel imponente da uma breve otima impressaom, mas os fumantes ascendem o cigarro e fumam como se nao houvesse amanha,  provando que a educacao ficou no Canada. Enquanto esperamos tambem aparece um pessoal na recepcao na casa dos early 20’s pedindo uma cadeira de roda (sem sucesso) para um dos amigos que nao conseguia ficar em pe e era arrastado. Falei que bebida alcolica tambem eh “all you can drink” ?

Fun!

Fun!

O pacote

Geralmente pacotes all-inclusive oferecem cafe/almoco/jantar buffet mais duas opcoes de jantar a la carte mais “chiquezinho”. Como mencionei ha pouco, cerveja e drinks variados a vontade estao tambem inclusos e frigobar abastecido de agua, cerveja e refrigerante diariamente. Nos pegamos um pacote VIP da Air Transat num desses “last minute deals”, entao pagamos o preco normal pelo tal pacote. Se for pra pagar mais caro por isso acho que nao vale a pena, o VIP dava direito a tres jantares a la carte (consegui um quarto jantar de cortesia), opcao de cafe da manha no setor VIP, roupao (que nunca saiu do closet), toalha de praia (alem das toalhas do quarto), quarto mais perto da praia e um Rum. Teoricamente era pra ter um check-in exclusivo tambem, mas isso nao existiu para nos.  No primeiro dia as 9h da manha tivemos uma “palestra” com um representante da Air Transat no auditorio, que explica tudo pros newbies como nos e tira duvidas que restarem. O nosso – chamado Raul – tinha um ingles muito bom e ainda arriscou algumas piadas de quando conheceu o Canada. Sempre tem algum representante da agencia de viagens no lobby do hotel no periodo de 9h ate 17h pra tirar eventuais duvidas que surgem.

Neve?

A comida

Tema recorrente nos reviews, sempre via a frase “voce nao vai a Cuba pela comida”, entao nao tinha grandes expectativas. Isso foi bom, porque realmente alguns pratos no buffet eram bem ruizinhos mesmo, mas sempre dava pra encontrar comida boa, mesmo se nao quisesse enfrentar as filas pra estacoes sempre populares de comida feita na hora. Nessas estacoes eram feitos desde camaroes, carne e frango no grill, ate stir-fry e crepes. Mas acredito que boa parte do pessoal que reclama da comida, ou melhor canadenses, acham muito exotico e tal. Canadenses geralmente passavem com pratos cheios de batata frita ate a tampa, ou entao pizza e pao. Tinha ate fila esperando batata frita, que sem exagero algum, acabava em menos de 5 minutos e estava constantemente em falta. Portanto para nossos padarao brasileiro a comida era relativamente boa, quase me acabei de comer um arroz com mariscos que os canadenses nem tocavam torcendo o nariz para os pedacos macicos de marisco dentro do arroz. Ja sobremesa era muito fraca, uns bolinhos sem graca e algumas frutas (goiaba, laranja, mamao, etc), poucas para um pais tropical. O que salvava era o sorvetinho (meio derretido e aguado) e os crepes. Eh importante citar que para os padroes cubanos o que tinhamos todo dia era um banquete de reis. Para quem nao sabe a populacao ainda tem tudo racionado ate hoje, ate mesmo coisas basicas como leite.

Auditorio

Auditorio

O hotel

O hotel era um dos maiores da ilha com 1300 quartos divididos em algumas villas de 3 andares. Dividido em dois setores quase identicos, a ala beach e a colonial, cada setor contava com uma piscina enorme com bar molhado e um resto/grill. No meio do hotel ficavam os restos a la carte (so pra dinner) e os dois buffets. Na marina do hotel tinha disponivel pedalinhos pra 4 pessoas, caiaques e hobby cats de graca (limitados teoricamente a 2 horas por dia). Um grande auditorio onde todo dia a partir das 20h tinha o “kid’s disco” que o Lucas adorou, era basicamente um animado infantil fazendo brincadeiras por 45 minutos. Depois comecavam os shows de danca e as vezes musica ao vivo com aquelas bandas no estilo do Buena Vista Social Club. O Kid’s Club so usamos por duas horinhas, ja na vespera de irmos embora quando estavamos exaustos de correr atras do Lucas. A mulher que ficou responsavel por ele era a mesma que fazia os shows com as criancas (uma especie de xuxa) algumas vezes e era bem legal e parecia confiavel, mas outras funcionarias nao inspiravam muita confianca, por isso so deixamos ele la essa unica vez. Tinha disponivel servico de babysitter tambem, o qual usamos com muito peso na consciencia uma vez so pra jantar tranquilamente. O servico era apenas $5 dolares a hora, uma pechincha! Resumindo, gostamos do hotel em si, mas nao do servico. porem a culpa nao eh dos funcionarios em sua grande maioria simpaticos, mas da gerencia. Sempre parece ter menos funcionarios do que eles realmente precisariam, alguns funcionarios relataram pra gente que trabalham shifts de 12 horas.

Esculturas de toalhas quase todos os dias

Esculturas de toalhas quase todos os dias

A praia

Como da pra ver nas fotos, o mar parecia uma piscina quando estava sem muito vento. A areia era tao fina que parecia talco! Estavamos acostumados com nossa areia mais grossa nas praias nordestinas. Provavelmente a fina areia branca eh um dos motivos da agua ser tao transparente. As praias sao de uso exclusivo dos hospedes dos hoteis, ja que nao existem cidades por perto. Era facil identificar quem era canadense e quem era europeu pelos bikinis. Canadenses com bikinis maior que minhas cuecas e europeias com fio-dental ou um ou outro top-less. Tomamos um susto com o Lucas um dia, estavamos ao lado de uma mulher bronzeando de top-less quando o Lucas correu em direcao a ela achavamos que ele iria pedir um gole, mas ele so puxou conversa mesmo, isso depois de ter jogado areia na barriga marido da tal mulher (que levou na esportiva). Nudismo eh permitido tambem em algumas praias especificas, mas top-less pelo que entendi ate na piscina do hotel.

Mar parece uma piscina

Mar parece uma piscina

Atividades e gastos extras

Varios pacotes de excursoes e passeios desde cidades proximas ate Havana era oferecidos por grana extra. Ficamos tentandos por um passeio de Catamaran que era o dia inteiro com parada na baia (ou coral) dos golfinhos e direito a lagosta no almoco por $100, mas nao sabiamos como Mr. Luc se comportaria e achamos melhor deixar pra proxima. Uma caminhada de 10 minutos nos levava ao Pueblo Estrella, uma cidade cenografica feita para os turistas com um banco, correio, boliche, disco (onde acontecia a balada de noite), lojinhas de presente e varios restaurantes. Experimentamos a pizza de lagosta ($5 dolores) no jantar no unico dia que nao tinhamos dinner a la carte scheduled e gostamos tanto que ate voltamos no dia de ir embora pra almocar, ja meio cansados do buffet.

Gorjetas sempre deixavamos pra camareira e pro rapaz que abastecia o frigobar. Nos restaurantes pro pessoal que servia as vezes, quando gostavamos do servico e/ou quando era alguem que no servia regularmente.  Seguindo a dica de que coisas simples como pasta de dente e sabonete sao itens em falta na ilha, algumas vezes deixamos “presentinhos” como gorjeta e outras vezes deixamos adicionalmente.

Kid's Disco

Kid’s Disco

Os hospedes, criancas e afinidades.

Pensei que seria mais wild do que foi, ainda mais depois da “recepcao” logo no lobby de entrada que relatei acima. Acho que se fosse no Brasil, com bebida a vontade o hotel nao passaria da primeira noite, provavelmente seria burned to the ground! O que notamos era que tinha bem mais familias que singles procurando balada. O fato do hotel (ou hoteis) serem isolados de centros urbanos ajuda bastante, os “baladeiros” procuram Havana ou Varadero. Fora as irmas enfermeiras de Winnipeg, pais com criancas tendem a se aproximar de outros pais com criancas, ou na verdade as criancas resolvem isso. Nos tornamos regulares na praia com um casal de Mississauga que tinha dois filhos, um deles da idade do Lucas. Outros dois casais com filhos tambem tivemos mais contato, um de Montreal (tambem imigrantes de origem Albanesa) e outros Quebecois de Quebec City. Esses ultimos foi bem curioso, conversei por algumas horas com o cara (que estava com um bebe de poucas semanas) e no final ele agradeceu por ter oportunidade de praticar o ingles! Quem diria um canadense (ok, quebecois) agradecendo um brasileiro pela oportunidade de praticar ingles?! E olha que ele eh advogado e trabalha pro governo provincial… O fato do frances ser mais proximo do portugues ajudou entende-lo quando nao sabia a palavra em ingles e tambem a paciencia, que nem todo mundo deve ter.

Nosso incansavel baladeiro tentando fugir

Nosso incansavel baladeiro tentando fugir

O povo cubano

O povo cubano me lembra muito o brasileiro. Mesmo com todas as dificuldades nao perdem o sorriso na cara. Como o pais sofre o embrago emposto pelos americanos ate hoje, eles sofrem com o bloqueio comercial com o resto do mundo. Importados sao em grande parte da China (TV do quarto, frigobar, chocolate) e algumas coisas do Brasil (muito bauducco), mas eles tem acesso bem limitado a tudo. Duas irmas enfermeiras canadenses de origem alema que fizemos amizades nos relataram que era a sexta vez em Cuba, mas a primeira a lazer, ela vinha todo ano como voluntaria de uma ONG. Ela me explicou muito de como as coisas funcionam la e de como o regime ainda eh forte. Trabalhar em hoteis para eles ainda eh uma das melhores atividades, melhor ate mesmo que ser medico ou advogado, ja que as gorjetas de um mes podem chegar a mais  do que eles recebem de salario o ano inteiro, na faixa de 20 dolares o mes. So pra dar uma ideia, no dia que iriamos embora pegamos uma carona em um daqueles carrinhos de golf que circulam levando turistas e malas pelo hotel – que eh bem grande – e o Osmani (que ja tinha feito amizade) perguntou se nao tinhamos uma fraldas pra vende-lo, dizendo que em Cuba, mesmo se tivesse dinheiro, ele so tinha acesso a fraldas caras e com absorcao de apenas 2 horas.  Fizemos entao um apanhado de todas as fraldas que nao usariamos mais ate chegar em casa, inlcuindo as de banho e outras coisas que tinhamos levado pra dar e ainda restavam como pasta e escova de dente, chocolate e ate coisas que nao queriamos como bijouterias da Claudia, perfumes e etc e juntamos uma sacola inteira que entregamos e ele correu pra fazer outra corrida. Quando ja estavamos esperando o onibus para ir de volta ao aeroporto ele voltou para agradecer, abracou, pegou o Lucas nos bracos pra passear e – como brasileiro – ate ofereceu pra ficar na casa dele da proxima vez de tao feliz que estava com as coisas que demos. Isso tudo me fez decidir que vou continuar indo a Cuba por um bom tempo, levar meu pouco dinheirinho a quem precisa. Se posso escolher aproveitar as ferias e ao mesmo tempo ajudar, melhor assim.

Pueblo Estrella

Pueblo Estrella

Balanco

Adoramos Cuba mesmo com os pequenos problemas e agora o Brasil tera um forte concorrente na escolha das ferias. Assim que der – se nao ano que vem, em 2015 – pretendemos voltar para pelo menos outra semana. Deveremos escolher a mesma regiao, mas provavelmente um novo, para pelo menos ter um referencial de comparacao.

Ausencia, ferias e Natal

Nao o blog nao acabou. Final de ano eh sempre uma epoca complicada e muito dificil de manter a rotina. Tem tambem os novos elementos adicionados ao dia-a-dia: ja fizemos um ultra-som, exames de sangue e duas consultas com a obstetra e nas primeiras semanas de janeiro ja tem mais consulta e ultrasom. O acompanhamento do Hospital tem nos surpreendido.  Fora isso, ainda tiveram minhas provas finais e festas de natal.

Estou de ferias do curso desde o dia 17. Quando voltar dia 3 de janeiro ja sera a reta final, restando apenas 7 semanas.

O frio ta forte por aqui, mas natal com neve de verdade, ao inves de bolinhas de isopor, eh bem melhor! Esse videozinho fiz na ultima vez que nevou ha pouco mais de uma semana atras.

Sobre o Natal. Querer mesmo, eu acho que quase todo mundo preferia estar no Brasil ao lado do resto da familia nessa epoca. Mas ao pensar nas filas nos aeroportos e o preco da passagem quase impraticavel ja da pra pensar duas vezes. Ainda assim tivemos um Natal bem movimentado, foram 2 jantares (para a Claudia) e 2 festas! Os dois jantares foram oferecidos por empresas que fornecem equipamento a clinica em que a Claudia trabalha, os sujeitos voaram de Toronto so para o jantar. O primeiro era permitido acompanhante, gostei bastante da Steak House. O segundo como era numa Steak House top de linha era so para os funcionarios e a Claudia foi sozinha. Alugamos um carro pro periodo natalino, ficar indo pra la e pra ca nessa epoca de onibus em Ottawa eh uma tortura. Sabado 18 teve festa na casa do patrao da Claudia, com direito a amigo secreto, catering e karaoke. Um dos presentes que a Claudia ganhou do chefe eu ja estou quase tomando, ja coloquei ate livro para ler:

E pra fechar a temporada, nosso Natal brasileiro na casa da Adri & Diego, com Carol & Luciano e  Raul & Marcela. Tudo estava uma delicia, da ate fome quando olho as fotos. Chegar a um acordo para as regras do amigo secreto foi quase tao dificil quanto negociar a paz mundial! hehehe Noite divertida, obrigado a todos pela companhia e aos anfitrioes que sempre nos recebem tao bem. Os pontos altos da noite foram o pastel surpresa que a Adri fez e o clip musical de natal que nao tenho autorizacao (nem acesso) para publicar…hehehe

Ela voltou!

Bye bye outono, welcome back winter!

Pois eh, estamos no meio do Outono e a neve (na verdade wet snow) ja chegou dia 30 de outubro. Ao que tudo indica teremos um inverno no minimo normal esse ano.

Essa foto aqui foi tirada semana passada:

23 de outubro

E essas duas abaixo tiradas ontem, sabado a noite, da varanda do nosso apartamento:

30 de outubro

Oficialmente o inverno so comeca daqui ha quase dois meses. Eu ja estava com saudade de ver tudo branquinho e olha que ja vou entrar no meu oitavo inverno com neve. Ja  a Claudia, que nao eh muito chegada em frio, mesmo indo pro seu quinto inverno com neve nao quis nem olhar la fora quando falei que estava nevando. Algumas pessoas falam o “Canada seria otimo se nao fosse o frio”, ja para mim eh o contrario, umas das coisas que mais gosto no Canada eh justamente o frio.

Winterlude – Celebrando o inverno

Como eu disse no post anterior, a vida nao para no inverno. Domingo passado(dia 7) fomos ao Winterlude. Um festival anual para celebrar o inverno, realizado durante 3 fins de semana no mes de fevereiro entre as cidades de Ottawa e Gatineau.

Lounge de gelo

Nos ficamos so no Confederation Park mesmo, em Ottawa, onde foram realizados concursos de esculturas de gelo com 38 participantes dos quatro cantos do mundo, tendo como tema esse ano “Mitos e Lendas”.

clique para ampliar

Escultura Ilusao Humana (segundo lugar)

clique para ampliar

Escultura Quimera (terceiro lugar)

Provamos pela primeira vez o Taffy on Snow, a seiva do maple cozinhada passando um pouco do ponto do Maple Syrup, esfriada e enrolada como um pirulito na hora diretamente na neve.

Taffy on snow

Guloseimas nao faltavam, barbecue pork ribs feitas na hora e pulled pork sandwich sao so duas das que fiquei com vontade comer. Nos controlamos e ficamos, alem do taffy, so no cornbread(preferido meu nos USA e que encontrei aqui pela primeira vez) com hot chocolat pra melhorar o frio de menos 8 que estava fazendo. Foi mais tranquilo que imaginavamos ficar mais de 4 horas expostos ao frio. Festival lotado de pessoas de todas as idades, muitas criancas e idosos. As criancas entao se esbaldavam, muitas rolando pelo chao como se estivessem na praia. Enfim, inverno tambem eh diversao!

Crianca feliz!

Bastante interessante tambem foi uma apresentacao que vimos da H2Orchestra, com “instrumentos aquaticos”. Como podem ver ai no video abaixo, em pleno inverno duas meninas de biquini na banheira. Eu fiz o segundo video, o sol nao ajudou muito no angulo que estavamos e a qualidade nao ficou muito boa, mas tinha que registrar essa versao de Halleluya do Leonard Cohen cantor/compositor canadense e lenda viva que eu sou fan. Agora o Rufus Wainright perdeu o posto numero 1 no quesito “cover de Halleluya” preferido, mas tambem fica dificil competir com duas meninas dentro de uma banheira…

Inverno

Temido por grande parte dos imigrantes, o inverno nao eh o bicho de sete cabecas pintado por ai. Ok, tem pessoas que gostam de frio e outras nao, mais ainda assim nao acho que o inverno por si so seja motivo de preocupacao para alguem querendo imigrar para o Canada.

Aqui as casas(na verdade tudo, lojas, onibus, etc) sao preperadas para o frio, o sistema de aquecimento no geral sao eficientes e voce pode passar ate calor se quiser dentro de casa. No Brasil em cidades do sul sei que isso eh um luxo de poucos. Conheci uma alema e uma sueca que passaram algumas semanas em Sao Leopoldo e disseram que nunca imaginaram que morreriam de frio no Brasil mas pudera, elas falaram que nao tinha nenhum sistema de aquecimento por la. Minha mae faz pos-graduacao por la tambem e concordou que passou(veja bem, nao faz mais frio) mais frio que quando me visitou no inverno nos USA. Nunca morei no sul do Brasil entao nao sei qual seria o motivo para isso, pode ser o custo energetico, mas enfim, ja ouvi da boca de pessoas do Parana e inumeras outras fontes que eles passam muito mais frio la do que no inverno rigoroso de Boston. Alem disso Toronto e Montreal ainda oferecem as cidades subterraneas e Calgary a “cidade suspensa” +15.

Mesmo para quem mora em cidades sem essa infra-estrutura, como Ottawa, basta um bom casaco de inverno, luvas, cachecol, toca e bota (se tiver neve) pra dar conta do recado. Eh importante tambem se vestir em camadas, algodao e jeans sao ineficientes contra o frio. A melhor opcao para a primeira camada que fica em contato direto com o corpo eh usar uma camisa dessas para esporte de tecido sintetico que deixam o corpo respirar e nao retem o suor, depois um sueter e por fim o casaco. Para mim isso e um gorro bastam, nao gosto de luvas nem de cachecol. Tem muita gente que usa uma calca estilo “segunda pele”  por baixo do jeans, eu so uso se for andar mais que 10 minutos numa temperatura de menos 20 para baixo. Nao eh que nao sinto o frio(talvez um pouco disso tambem), mas eu nao me importo com um pouco de frio. No Brasil dificilmente voce ira encontrar alguma roupa para frio que se aproveite aqui. A excecao eh se voce encontrar roupas importadas ou comprar de segunda mao de alguem que ja morou em pais com inverno rigoroso.

Dia tipico de inverno

Cuidado com a falsa nocao de “sol de geladeira” que algumas pessoas falam. O sol que brilha aqui eh o mesmo sol do Brasil e portanto queima a pele. Pior que voce so sente depois por causa do frio. Eu ja cheguei a ficar com a nuca queimada uma epoca que trabalhei outdoors no inverno e como estava todo vestido era a unica parte do corpo desprotegida. Tempo bom significa mais frio, dia quente = dia nublado. Voce acorda olha pela janela um lindo dia de sol e imagina “hoje deve estar um climo mais ameno”. Errado! Se o dia esta ensolarado as chances sao boas de estar bastante frio. Se o tempo ta meio fechado, ou mesmo nevando, ai sim o frio esta menor. Eh o mesmo principio do Brasil, quando o tempo esta abafado sinal de chuva vindo. Aqui nao chega a ficar abafado claro, mas a temperatura sobe um pouco quando vai nevar. Eh indicado sempre olhar a previsao do tempo antes de sair de casa  nao so para se ter uma boa ideia de que roupa usar, mas tambem para evitar supresas desagradaveis como sair de tenis e na volta pegar uma tempestade de neve. Tambem eh importante mencionar para considerar a sensacao termica e nao so a temperatura por si. O vento faz cair muito a sensacao termica, como pode ser notado na figura acima, os 7 graus negativos viram menos 13, mas isso pode variar bem mais.
Mas ainda bem que o corpo se adapta e um dia voce vai descobrir que sair de camiseta de malha fazendo 16 graus na primavera eh normal e prazeroso depois de um longo inverno.

Abaixo um videozinho curto feito na volta do supermercado num dia de tempestade no inverno.