Deu Ottawa no topo mais uma vez

Saiu a Canada Best Places to Live – 2011 e adivinha quem ganhou novamente?!

Se você pensou Ottawa-Gatineau acertou na mosca. Permitam me ser bairrista por um dia, mas esse não é um ranking qualquer, sem falar que ano passado ficamos em primeiro também. Esse pequeno artigo do Yahoo resume bem a opera: “O que Ottawa tem que as outras cidades não? Em apenas uma palavra, consistência. Ela não é a melhor cidade em nenhuma categoria especifica, mas mantém uma media boa em todas elas. Tem empregos, saúde acessível, baixa criminalidade, renda familiar e casas não muito caras.

Aqui esta o artigo da MoneySense e aqui o ranking completo.

Advertisements

Promessas

Não, eu não tenho vocação para político e portanto não direi que promessas existem para serem quebradas, ou que falei que o próximo post sairia ate domingo, mas não especifiquei qual domingo. Agora acabou meu curso, o estagio e perdi meu status de estudante e sou oficialmente um desempregado. Quando estava no estagio e agora o inicio da minha própria jornada de procura de emprego, o blog ficou em segundo plano. Não que eu não tenho vontade de escrever, só não tenho cabeça mesmo. Sem querer ser muito pretensioso, eu não queria vir aqui escrever um post superficial, como vejo vez por outra por ai.

O estagio foi muito bom, na verdade o único problema é que foi tão bom que agora qualquer coisa que vier por ai vai ser no maximo igual. A empresa eh top, super-profissional e enorme, no meu primeiro dia me foi dado um mapa para encontrar minha mesa e a moca do RH se perdeu mesmo assim e pediu desculpas porque só estava trabalhando la há 3 meses. Trabalhei como assistente de duas Law Clerks sênior, resumindo, organizando processos, redigindo documentos, fazendo Legal Research pro Book of Authorities que vai anexado ao processo e indo a Federal Court, Foreign Affairs e uma dúzia de embaixadas.

Saudades da minha mesa

Descobri recentemente que consegui cumprir meu maior desafio, que foi justo no ultimo dia de estagio. Um advogado de Toronto (como disse essa empresa tem escritórios espalhados pelo Canadá) entrou em contato com uma das minhas supervisor requisitando copias de documentos de um processo que já estava arquivado na Federal Court que fica aqui em Ottawa, ela então repassou a tarefa para mim. Teoricamente simples se ele especificasse quais documentos ele precisava, mas a instrução era que ele estava estudando a possibilidade de reabrir o processo e queria todos os documentos relevantes para que ele pudesse tomar uma decisão. Seria fácil também tirar copia do processo inteiro se ele não fosse enorme (mais de 6 volumes em duas caixas) e o custo da copia para cada pagina de um processo arquivado na Federal Court não fosse 40 centavos de dólar. Levei uma tarde e quase a manha seguinte toda e ainda sai de la sem a certeza de ter feito a coisa direitinho, requisitei copias de uns 5% somente do processo e deu em torno de $100. Esses dias as minhas ex-chefes me convidaram para um almoço no Johnny Farina e me contaram que deu tudo certo, o advogado de Toronto já estava com os documentos na mão e estava feliz, foi um grande alivio.

Now what?

Agora estou esperando pela resposta de uma entrevista que fiz. Acho que essa é a pior parte: esperar. Geralmente você sai da entrevista achando que o emprego já é seu, que você foi fod@, mas isso acontece com quase todo mundo pela postura dos entrevistadores. Nesse meu caso eram dois advogados me entrevistando e a conversa fluiu de tal maneira que em determinado momento falamos de futebol e copa do mundo por alguns minutos e depois voltamos a entrevista normal. Meu único ponto fraco é que não tenho experiência especifica na vaga (advocacy). Bem, ainda tenho esperanças, vamos ver no que dar.

Estamos com as chaves da nova casa nas mãos e com mudança marcada para dia primeiro de abril, já comecei a empacotar coisas e isso tem me tomado um tempo também.

PS: O post dando continuidade a serie sobre Ottawa esta na pasta de drafts esperando para ser trabalhado, mas dessa vez não vou dar prazo pra não correr o risco de não cumprir a promessa novamente.